25 de julho de 2006

Scolariedade Social


Bem!
Acabou o Campeonato do Mundo de futebol!
Propositadamente coloquei futebol com letra pequena, porque de facto foi um campeonato para esquecer tal a falta de qualidade do futebol apresentado. Embora seja um dos 13 melhores observadores do futebol mundial no activo (os outros 12 colegas meus estiveram na Alemanha a dar pontuações aos jogadores e a nomearem os melhores em cada jogo), não vou entrar em questões de natureza técnica,em aspectos tácticos, nem outras questões que me levaram a ser uma das maiores referencias do comentarismo europeu futeboleiro desde Finisterra a Vladivostock.
Hoje vou mesmo dizer que apesar de Angola jogar malzinho e ter uma equipa fraquinha conseguiu ser parecida com todas as outras, e disfarçar as insuficiencias que trouxe ao Mundial e que já eram visíveis no CAN.Podia ter feito como os portugueses que jogando poucochinho conseguiram através do Chico-espertismo chegar aos quartos.
Eu fui claro desde o início, pois sempre apoiei a selecção de Angola e apenas essa. Quando foi eliminada eu passei a olhar os jogos com pouco entusiasmo, embora tivesse um fraquinho pelo Gana, pois sempre era uma selecção africana.Quando o Gana acabou a sua participação fiquei sem preferencias e limitei-me a olhar as manifestações patrioteiras que aqui e ali iam pintalgando um ou outro local na Europa comunitária.
Digo sem qualquer tipo de reserva mental, que não tive simpatia particular por Portugal, por razões várias, que seriam fastidiosas de enumerar.Nem o facto de ter um jogador que é meu familiar próximo, me fez alterar a minha indiferença em relação ao seleccionado.
Durante toda a inundação de informação(???)que éramos obrigados a ter desde manhã até às quinhentas da noite, na maior concentração de mm2 por ecran de TV, fui-me lembrando de João Abel Manta.
E lembro o caricaturista JA Manta, filho do mestre Abel Manta,a quem recomendo uma visita à sua casa-museu em Gouveia, mas dizia, lembro João Abel Manta que em 1967(?) resolveu fazer esta caricatura de um Portugal isolado do mundo, decadente, com uma guerra colonial com tres frentes de combate, um país ainda mais triste que "o paraíso triste" que Saint Expury tinha descrito em 1942 quando por cá passou a caminho da sua morte.
Hoje como ontem as pessoas agarravam-se à sua selecção, e hoje como ontem uma santa no caminho dos portugueses, trazida por um Edir Macedo que só tem um detalhe suplementar: Talvez saiba de bola.
O IPSS (Instituto para a Promoção da Scolariedade Social)com um ordenado que era o 3º no ranking dos ordenados dos seleccionadores, resolve começar a insultar a esmo e até mesmo a bitaitear (verbo adaptado do léxico do Hernani Gonçalves)sobre questões que não lhe dizem respeito, perante o enxamear da bandeira do Partido Republicano, e que persiste desde 1910(Este pequeno detalhe tem um recado óbvio:Angola não tem nada que mudar bandeira nenhuma). Nas procissões em Portugal há o costume de colocar colchas nas janelas e varandas à passagem das santas e dos Santos, e de meninos vestidos de anjos e senhoras com um naperon na cabeça, mas esta das bandeiras só lembra mesmo ao triunvirato Portugal/BES/FPF, não chegando ao ponto do senhor Scolari dizer que "O que é bom para o BES é bom para Portugal".
Bem, fico-me por aqui, senão começo a falar muito mais da Scolaridade Social e desapetece-me mesmo.

1 comentário:

Jonh Neo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Related Posts with Thumbnails