18 de março de 2006

Fui-lhe ao Cónego em Braga


"Através do humor nós vemos no que parece racional, o irracional; no que parece importante, o insignificante. Ele também desperta o nosso sentido de sobrevivência e preserva a nossa saúde mental." - escreveu Charlie Chaplin.

No outro dia fui a Braga, quer dizer fui abaixo de Braga a Braga, ao meu confessor favorito, o bom, o doce, o cândido, o quase omnipotente cónego Melo. As razões de eu me ir confessar ao cónego Melo vem dos meus tempos de 1975 em que o bondoso senhor andou a espalhar uns engenhos, que os comunistas diziam se explosivos e os apaniguados do curador-mor do cabido de Braga, dizia e com muita propriedade de paz(Quero esclarecer que ao tempo o Norte de Portugal não era qualquer cidade de Angola tão bem descrita pelo Fernão Lopes da transição de seu nome Pompílio da Cruz).Entrei na vasílica de Vraga, e digo vasílica porque em Braga, trocam os Vês pelos Bês, e o bice-bersa também. Vai daí e chega-me a encantadora figura do ó nego (desculpem mas o teclado não ajuda eu queria escrever cónego), com o seu fato aberguilhado (um cónego não é como o comum dos mortais..tem braguilha de cima abaixo, não sei se com botão ou fecho-eclair) de mãos estendidas, com aquele olhar maroto, de quem a pedofilia é assunto da sociedade civil e que a Igreja não tem de se meter. Bem, eu abracei-o e reparei que o incenso que trazia era do tipo Yves-Saint-Laureant,talvez o Kouros, e disse-lhe com toda a candura que me é habitual
-Cónego pequei!!
Ele olha para mim com toda a voção e talvez devoção do mundo e diz-me:
-Rapaz, fizeste bem vir ao Cónego.Vem até ali...
Leva-me para um local mal iluminado da Sé e pede-me que lhe conte a história toda...
Pensei,bem Karipande se começares pelo verdadeiro pecado que te cá trouxe, então ele despacha-te com grande velocidade e só ficas parcialmente absolvido...
Eu como tenho horrores a coisas parciais, resolvi começar a dizer-lhe:
-Cónego pequei porque vi três comunistas juntos e não fiz menção nenhuma de os matar...
Pequei porque não os segui para ver onde moravam para...Caso fosse necessário, o cónego sabe bem,....
Pequei porque vi um livro daquele que omito o nome, Sarai...ai até sinto um nó só de dizer isso e não fiz menção de sequer cuspir na montra...
Ele estava atarantado com a dimensão dos meus pecados, o que antevia uma contrição pesada, já com dezenas de orações...e quiçá mesmo alguma avultada multa pecuniária, para evitar ter de me ajoelhar por causa das artroses ou doutras doenças que o demo espalhou pela terra...
-E mais meu filho, perguntava ó cónego, já com o seu faceas, que vislumbrei mesmo na semi-obscuridade Não gosto muito de decompor esta palavra por sílabas...levava sempre reguadas na escola)
-Pequei cónego porque fiz chichi nos sapatos e ainda não tenho problemas de próstata.
-E mais??
-Pequei porque escrevi num site de sofredores retornados do ultramar textos que tiveram que ser editados, mas não fui eu cónego, foi o próprio demo, talvez disfarçado de teclas..Sabe como ele é ...antes disfarçava-se de Bic ou Waterman, agora disfarça-se de teclados...mas foi ele o mafarrico..Ou o cónego acha que eu digo mal de alguém...ou faço mal a alguém???
-E mais???
-Mas padre eles até foram bonzinhos , cortaram o meu texto e puseram lá de novo...mas como fui eu que pequei, quero que na absolvição seja também incluída um conjunto de preces para os moderadores, que com mão certa e inspirados por alguém...resolveram cortar só...aquelas partes...sabe...mas que podiam fazer falta..mas sabe..quem as não tem...paciência...ora!!
-O nosso bondoso e sapiente cónego, trejeiteasse com uns passes de sinaleiro em esquina movimentada e diz-me...
-A gravidade dos teus actos quase não tem perdão, mas para não ficares com as tuas artroses piores, fazemos isto por uma quantia para os pobres..100€ e para o ano sais de Jaca a pé para fazeres os Caminhos de Santiago, neste caso o caminho francês...Vai, meu filho...e cuida-te dos pecaminosos sentimentos...

Vim para baixo de Braga, com outro animo, com outra forma de ver as coisas e com tudo o que tenho pedir perdão a todos vós...MENOS AOS IMPIOS...essa horda citadina sem referencias morais e de cidadania...
Obrigado cónego...Tu e a EDP ajudaram-me a ver a luz de novo...
Fernando Pereira

1 comentário:

Cangonja disse...

Vale, amigo!
Beijoka da

Related Posts with Thumbnails