26 de junho de 2009

Diagnósticos/ Ágora/ Novo Jornal/ Luanda 26-06-09






Em Londres até à chegada de Murdoch à imprensa, a maior parte dos jornais estavam na Fleet Street, que marca o inicio da City londrina, o lugar mais importante da finança internacional. Foram entretanto deslocalizados para a periferia de Londres, e Fleet Street perdeu a aura doutros tempos, em que os jornais ainda se mantinham por amor à camisola por parte dos seus proprietários, jornalistas e tipógrafos. Não vou aqui perder muito tempo com isto, mas de facto em Luanda a rua rainha Nzinga, a partir do edifício da Bolsa, marca o inicio da Fleet Street angolana, pois acaba por ser o local onde se encontra a imprensa escrita de referência em Angola.
Tudo isto vem a propósito, de eu ter visto numa revista de um jornal que sai no mesmo dia do Novo Jornal, algo que me deixou completamente desconcertado. “Realizado por 3XU produções e por LS-republicano, o concurso que vai eleger a Garota Nacional Bumbum Dourado já teve três eliminatórias Benguela, Namibe e Huila”. Com algumas fotos, a maior parte delas de “traseira”, mostra a grande vencedora, também fotografada por “trás”, uma tal Iracema Bernardo, de Benguela que recebeu um cheque de 10.000 dólares. Desculpem mesmo qualquer coisinha, mas há aqui algo que não bate a bota com a perdigota, pois é degradante demais este espectáculo e acima de tudo que seja publicitado, ainda que de uma forma envergonhada. Tudo que é mesmo degradante e mau começa sempre de forma envergonhada, mas quando nada se opõe, o inverso é que passa a ser envergonhado. No tempo da independência, na sequência da luta de libertação, uma das causas mais caras a todos, passava pela emancipação e dignificação da mulher, mas como se foram perdendo alguns valores pelo caminho, desapetece-me alinhar com os que promovem até à saciedade os “bombons nas bumbuneiras de ouro”!
Passeando pelo ex-Bairro do Cruzeiro, hoje Bairro das colónias, ou das ex-colónias(??), continuando sem perceber muito bem porque mudaram o nome ao bairro, vejo com perplexidade numa esquina com a Rua da Guiné, uma placa que mostra a forma amadora, quiçá mesmo displicente, como se tem revisto a toponímia da cidade. Há uma placa recente, portanto a estafada desculpa pelo facto de se terem esquecido da placa da toponímia colonial, que diz textualmente Rua da Índia e entre parênteses a singularidade de Estado da Índia Portuguesa.
Socorrendo-me do Novo Roteiro de Luanda de 1964, sobre essa rua diz o seguinte: “Liga a Rua de Massangano à Rua de Moçambique” (2 colónias!!!). “Em homenagem à nossa Índia Portuguesa, descoberta por Vasco da Gama, em 20 de Maio de 1948 e campo de façanhas épicas praticadas por destemidos heróis, como D. Francisco de Almeida, D. Afonso de Albuquerque, Nuno da Cunha, António da Silveira, D. João de Mascarenhas, D. João de Castro, etc. Em Dezembro de 1961, foi-nos arrebatada pelo feroz e estúpido chacal da União Indiana. Não tardará porém o dia em que esta parcela da Pátria, tão regada com o sangue lusitano, volte ao redil nacional”
Por tudo isto, continuo a achar que a toponímia da nossa cidade capital mereceria mesmo uma discussão, e talvez fosse mesmo um tema que permitisse afirmarem-se sinergias que mobilizassem pessoas para os desafios que se colocam ao futuro de uma cidade com um identitário próprio, desejavelmente diferente do actual, mas com a necessidade de fazer prevalecer a simultaneidade de uma matriz africana e crioula de Luanda.
Desculpem hoje estar algo irascível, e colocar aqui alguns detalhes que podem ser de temas fracturantes, mas a realidade é que estou com tanta auto-estima que não sei se aguento.
Fernando Pereira
14/6/09

22 comentários:

Afonso Loureiro disse...

Caro Fernando Pereira,

Nos seus recentes artigos acerca da toponímia de Luanda tenho reparado que algumas imagens que usa para os ilustrar provém do meu blog, o Aerograma.

Reparei também que em nenhuma altura referiu a origem das imagens e que usou versões onde foi eliminada a informação de copyright do canto inferior esquerdo.

Não me oponho a que as use, desde que refira a sua proveniência.

karipande disse...

Afonso Loureiro

Sigo o seu blog com enorme curiosidade, e acho dos blogs mais interessantes de todos os dos expatriados, que normalmente são parciais, e nalguns casos a raiar o racismo e o saudosismo por outros tempos, para além de atacar sistemáticamente outras comunidades, que não a portuguesa.
Convém que lhe diga, que as fotos por vezes são do "Novo Jornal" onde colaboro, e uma ou outra tirada por mim, numa qualquer deslocação a Luanda.
De facto utilizei, uma foto sua (Rua do 1º Congresso) porque perdi a que tinha tirado e penitencio-me por não ter dito o blog onde a fui tirar.
Quanto ao resto, desculpará mas não utilizei mais nenhuma, e posso dizer-lhe que essa do 1º Congresso não foi utilizada no artigo do jornal, que espero que adquira semanalmente.
Um abraço
Fernando Pereira

Afonso Loureiro disse...

Caro Fernando Pereira,

Na verdade, usou duas fotografias de minha autoria, uma da Rua do 1º Congresso e outra mostrando a placa toponímia da Rua da índia, novamente retirando a informação de copyright.

Esta fotografia foi publicada no artigo "Ai se os indianos descobrem...".

Se as quiser continuar a utilizar, agradecia que usasse as versões originais ou que incluísse explicitamente a sua origem.


Afonso Loureiro

Afonso Loureiro disse...

Caro Fernando Pereira,

Quando tenciona corrigir a questão dos direitos de autor das imagens usadas?


Afonso Loureiro

Cristina disse...

Já recortou a foto várias vezes, agora resolveu virá-la ao contrária.
Uma vez que não respeita os direitos de autor ( que é uma vergonha para além que se diz jornalista) porque não a tira de vez.

Cristina Ribeiro

Afonso Loureiro disse...

Caro Fernando Pereira,

Porque insiste em não reconhecer os créditos devidos? É com este exemplo que mostra as suas qualidades como jornalista?

Acrescentando uma pequena linha no final do artigo daria muito menos trabalho aos dois do que andar nesta troca de imagens e pedidos de rectificação.

Começa a parecer uma birra.


Como dizia o poeta que já morreu:

Errar é humano,
Perdoar é divino.
Mas insistir no erro,
É um pouco cretino!

Lopesco disse...

A isto, chama-se PLÁGIO!!! Para não dizer outra palavra mais feia que começa por R, acaba em O e pelo meio tem as letras, colocadas de forma aleatória, OUB!!!!

Daniela disse...

Diz o senhor no inicio da sua pagina, onde está o descritivo do blog que: "fomos gamar o titulo para este blog.Foi fácil..."
Pois, pelos vistos não é a única coisa que gamou...já que até as fotos dos outros anda a gamar. O Afonso Loureiro ainda se pode (e deve) queixar do plágio, o João César Monteiro é que não está entre nós para o fazer.
Experimente, assim...sei lá...na loucura...tirar você as fotografias e deixar de as roubar aos outros.

João Marcelo disse...

Poh, Fernando...

Vc não vai tirar a foto?

Coisa feia!

Anónimo disse...

Caro Fernando Pereira,

O seu curso de jornalista não incluía uma disciplina de ética?

Ricardo Silva

Anónimo disse...

Ladrão, pára de usar o que não é teu!!

Preto não sabe mesmo viver em sociedade, egoísta!

Tenha vergonha na cara!

Elmiro Ferreira disse...

Caro F.P.

É crime em qualquer parte do mundo, logo deduzo que também em Angola, andar alguém a apropriar-se do trabalho de outrem. Mas além do crime que o sr. reconhece, ainda revela falta de educação e uma insolência inadmissível. Refiro-me, como já deve ter adivinhado, à utilização de imagens do blogue Aerograma, escondendo a sua origem e agora invertendo uma delas.
Sobre o seu entendimento do que é "o raiar o racismo de alguns dos blogues expatriados", aguardo que especifique, porquanto também eu acho que o seu blogue não só raia, como chega por vezes a afundar-se nesse estado d'alma.
Estimo as suas melhoras.
Elmiro

Anónimo disse...

Meu Deus! Custa dar crédito? Plagiar é muito feio, amigo. Emende-se!

Leitor do aerograma disse...

Olhe, não lhe fica nada bem a roubar o bogue do Afonso!!!
É que vai deixar os seus leitores a pensar o que mais é seu ou o que mais foi roubado por si.

Nuno Blue disse...

É fantástico como a quantidade de posts aqui colocados ainda estão à espera de serem aprovados..

Apenas queria partilhar o quão ridículo tem sido a atitude de quem escreve neste blog ao reduzir e rodar a imagem plagiada.

Continuem assim que faz sempre falta um bobo da corte de quem o pessoal se possa rir um bocado.

Felicidades..

Anónimo disse...

Os preto sao assim mesmo.roubam porque esta na massa do sangue roubar e este e igualito sem tirar nem por.tira a foto do Afonso daqui seu ladrao.

Anónimo disse...

Que vergonha! Que vergonha! Plagiador e pirracento!

Afonso Loureiro disse...

Caro Fernando Pereira,


Quando se decide a emendar o erro?

Anónimo disse...

Senhor Fernando Pereira

Sou leitor do Aerograma e fiquei indignado com o seu comportamento com o que fez ao Afonso. Se fosse comigo, isto não ficava assim, pode crer.
Seja correto tire a foto, e ponha os comentários todos por aqui se tem coragem
Bel

Fã do Aerograma disse...

Sua bostinha, não brinque com quem não deve, e ponha o nome do blog donde roubou a foto. Alguns angolanos só tem mesmo é dinheiro, e mesmo assim são vigaristas, como o presidente.Xulos!

Afonso Loureiro disse...

Quando tenciona retirar a fotografia ou indicar a sua proveniência?

Lopesco disse...

E então? Tá esquecido?

Related Posts with Thumbnails